Lagunas Altiplánicas, natureza viva

Atacama - Laguna Miscanti

foto Camila Borges Luz

No nosso segundo dia oficialmente no deserto do Atacama, a nossa escolha de passeio foram as Lagunas Altiplánicas. Desde antes de partir, já tínhamos decidido que seria melhor ir logo até o ponto mais distante no nosso roteiro. As lagoas Miscanti e Miñiques, seus nomes próprios, ficam a, aproximadamente, 100km de San Pedro.

Saímos cedinho do hotel, depois de um café da manhã reforçado, aproveitamos para preparar sanduiches para mais tarde, pois não sabíamos o que iríamos encontrar por lá e, como as lagunas ficam dentro da Reserva Nacional Los Flamencos, provavelmente não teria nenhum lugar para podermos fazer um lanche. Levamos também frutas e água. (pequeno parêntesis para algo que acho importante compratilhar, experiência própria: na altitude, a bexiga tem uma atividade bem anormal… então, aproveitem sempre os banheiros quando passarem por eles, fica a dica…rsrs).

A estrada que segue para as lagunas passa por um vilarejo chamado Toconao. Muitas excursões param lá, tem visita à cidade e tudo mais, mas nós apenas passamos. Como sempre, a paisagem do deserto é linda, e o dia ajudou muito, estava ensolarado, o que fazia com que as cores se destacassem ainda mais.

Atacama - Lagunas Altiplánicas       Atacama - Lagunas Altiplánicas

A direção a seguir é, primeiro, Toconao / Paso Sico, depois Socaire, mas ter um GPS ajuda e muito! Há muitas estradinhas que cortam a pista principal, a maioria de terra batida, e pegar a entrada errada pode custar preciosas horas de passeio.

Quando chegou o momento de sair da ruta, ainda andamos uns 30 minutos até o posto de controle da reserva, onde é preciso pagar um valor irrisório para poder ter acesso às lagunas. O local disponibiliza banheiros para os visitantes e um local até bastante sinalizado.

Um detalhe importante sobre esse passeio: as lagunas localizam-se a uns 1500 metros altitude acima do nível de San Pedro de Atacama. Meu pai teve um pouco de mal-estar, e uma senhora do parque ofereceu a ele uma florzinha, colhida ali mesmo, a qual, se você cheirar, diminui os efeitos da altitude. Para vocês verem como a natureza é magnífica né? Nada é por acaso.

Atacama - Lagunas Altiplánicas       Atacama - Lagunas Altiplánicas

Se a sua primeira pergunta é se é possível entrar nas lagoas, a resposta é não. Na verdade, não se pode nem chegar muito perto da água, pois alí é local de reprodução de muitos animais em risco de extinção como a Tagua Cornuda. As trilhas pelas quais se pode passar são bem demarcadas, não é permitido sair do percurso. Por alí, também, é possível ver muitas vicuñas, um animal da família das llamas e das alpacas. Elas são uma gracinha! Passeiam para lá e para cá, comem as plantinhas, ficam por ali “de boa na lagoa”, literalmente.

A formação das Lacunas Altiplánicas tem detalhes super interessantes. Originalmente, elas eram alimentadas pelas águas das geleiras localizadas nas montanhas ao redor, mas uma erupção vulcânica cessou essa comunicação. Apesar disso, as lagoas ficaram ali estancadas devido a alterações na geomorfologia do local. Já ouvi dizer que entre elas existe um canal subterrâneo, mantendo a alimentação da menor, Miñiques, pela maior, Miscanti.

Atacama - Lagunas Altiplánicas - Laguna Miñiques       Atacama - Lagunas Altiplánicas

Com certeza um oásis no meio do deserto. Ficamos por alí admirando aquilo tudo por aproximadamente 40 minutos, mas a vontade era de não ir embora. Alguns de vocês podem estar se perguntando o porquê do título desse post. Sabem aqueles quadros chamados natureza morta, bom, a paisagem que vimos nesse dia parecia uma pintura, mas prefiro chamá-la de natureza viva. Um dos lugares mais lindos nesse mundo, com certeza.

Atacama - Lagunas Altiplánicas       Atacama - Lagunas Altiplánicas

 

Gostou? Então compartilhe...Share on Facebook37Pin on Pinterest10Tweet about this on TwitterShare on Google+1Share on Yummly0Email this to someonePrint this page

Comentários

comentários