Gruta de maquiné – Um espetáculo de cores da natureza

No caminho de volta para Brasília planejamos passar na Gruta de Maquiné. Tenho uma lembrança muito legal da minha infância, quando em uma viagem para o Rio com meus pais decidimos parar para almoçar e conhecer este espetáculo da natureza. Como a Lu não conhecia…

No caminho entre Belo Horizonte e Brasília existe a chamada “Rota das Grutas de Lund”, onde estão abertas para visitação:

  • Gruta de Maquiné, com 650 metros de extensão e 18m de profundidade;
  • Gruta Rei do Mato, com  220 metros de extensão e 30 de profundidade;
  • Gruta da Lapinha, com 511 metros de extensão e 40 metros de profundidade.

A Gruta de Maquiné foi descoberta em 1825 por Joaquim Maria Maquiné, antigo proprietário das terras localizadas no município de Cordisburgo – MG, a 127km de BH. Mas foi somente em 1834 que a gruta começou a ser explorada cientificamente pelo Dr. Peter Wilhelm Lund, naturalista botânico, paleontólogo e cientista dinamarquês. Durante os estudos de Lund foram encontradas ossadas de tigre-dente-de-sabre e da preguiça gigante, com cerca de 3 metros de altura. Impressionante, não?  Eu nem lembrava  nada disso… fato é que a Gruta de Maquiné foi o berço da paleontologia brasileira.

Chegando ao município de Cordisburgo, demos de cara com isso:

iubiqui.com - Elefante Gigante Cordisburgo

Não pergunte…kkk…brincadeira, esse elefante é a casa de um artesão da cidade, e é aberta para visitação. O mesmo senhor, contribuiu para o turismo na cidade ao criar esculturas, em tamanho real, dos animais pré-históricos encontrados por Lund dentro de Maquiné. Não pudemos ver, mas se você estiver com tempo, vale dar uma volta pelo povoado, ali também encontra-se a casa de Guimarães Rosa, a gente nem lembrava que ele era de lá! Próximo à entrada da gruta, demos de cara com essa placa, com um trecho de uma das obras do escritor:

iubiqui.com - Gruta de Maquiné

Muitas surpresas agradáveis nesse nosso desvio de percurso!

O horário de funcionamento da gruta é de  08:00 às 17:00. Chegamos lá por volta das 9h, fomos os primeiros, o dia estava muito tranquilo. Tivemos que esperar um pouco até o nosso guia aparecer, mas se você quer ter a gruta toda para você, opte por este horário, mais tarde  começam a chegar grupos enormes de turistas, o que acaba atrapalhando um pouco a experiência.

A visita dura de 1h a 1h30 e começa com a observação de uma pintura rupestre, logo na entrada da gruta.

iubiqui.com - Pintura Rupestre Gruta de Maquiné

A Gruta de Maquiné é composta por 7 salões:

  • Vestíbulo
  • Sala das colunas
  • Altar ou trono
  • Carneiro
  • Salão das piscinas
  • Salão das fadas
  • Salão Dr Lund e Cemitério

Em todos eles passamos por estalactites e estalagmites, formadas a partir dos gotejamentos, carregados de minerais, que descem do teto e que se acumulam no chão ao pingar, respectivamente. Quando as duas se juntam, temos uma coluna e para que isso ocorra são necessários milhares de anos.

A condição de vida e de renovação da gruta é ter água. Um fato preocupante tem sido a redução do volume das chuvas e o ressecamento dos cursos d’água subterrâneos,  comprometendo a evolução. De todos os salões, apenas um apresentava sinal de vida, umidade, os demais tinham acúmulo de poeira no lugar onde, antigamente, havia enormes poças d’água. Quando visitei pela primeira vez, lembro do guia nos mostrar o reflexo das estalactites na água, formando imagens que lembravam a maquete de uma cidade.

Apesar de tudo, a Gruta de Maquiné é um espetáculo à parte. As cores e o brilho das formações são de impressionar, o vermelho, o prata, o branco são resultado de uma combinação de minerais e metais, como o ferro; além disso, é possível ver travertinos, formações calcárias em um estágio anterior ao mármore.

Nosso guia, o Tarcísio, era uma comédia e tinha uma imaginação muito fértil, nos fez enxergar coisas super interessantes nas diversas formações, como um “sorvete de creme bem cremoso”, nas palavras dele…. Muito engraçado… Ele foi muito atencioso e dedicado, percorreu tudo com bastante calma e até nos fez ouvir o silêncio ensurdecedor da gruta: fechamos os olhos e só escutamos… chegamos a sentir uma forte pressão nos ouvidos, impressionante.

Após visitar todos os salões nosso passeio terminou e já era hora de pegar a estrada de volta para percorrer 650km até Brasília.

Até a próxima um grande abraço.

 

Gostou? Então compartilhe...Share on Facebook41Pin on Pinterest6Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on Yummly0Email this to someonePrint this page

Comentários

comentários