Blog parado não dá dengue – sobre superar a procrastinação

Olá pessoal!

sim sim, estamos muito sumidos. O blog ficou meio às moscas nos últimos meses… ter blog não é simples, mas até mesmo o “não escrever” têm sido um valioso instrumento de crescimento pessoal. Apesar desse tempo sem dar sinal de vida, o blog não ficou fora dos nossos projetos, muito menos do nosso dia-a-dia, mas às vezes é preciso dar uma pausa para poder retomar o fôlego.

Muitas outras atividades tiveram que ser priorizadas para que não entrássemos em desespero…rsrs. Acabou sendo importante ficar com essa “pendência”, para que novas ideias e uma nova compreensão desse universo pudessem ser exploradas e experimentadas.

Como já disse antes, blog dá um trabalho danado, ainda mais se você não quer apenas escrever qualquer coisa e se preocupa com a qualidade daquilo que posta. Além disso, blog também tem crises de identidade: nos últimos meses passou pela nossa cabeça e, dessa forma, a fazer parte das nossas tarefas, uma remodelagem da nossa página. Outros blogs foram visitados, anotações foram feitas, vontades foram amadurecidas, e tudo está sendo encaminhado para, em algum momento, termos uma nova cara, que com certeza será meio mutante.

Quando você começa um projeto como esse, você tem uma intenção mais ou menos definida. Muitos blogueiros conseguem se ater à ideia inicial e seguir sempre, mas eu, nos últimos meses, me permiti compreender melhor a mim mesma e colocar as minhas vontades, sonhos e projetos em um outro patamar na vida, e tudo ficou mais claro e organizado na minha cabeça. Provavelmente, agora, postarei de forma mais despretenciosa, menos amarrada a um plano, e vou permitir ao blog mudar junto comigo.

Já percebi que essa coisa de ter dia e hora certa para postar a fim de manter uma “clientela” não funciona muito bem para nós, precisamos de inspiração e não de mais obrigação. A pior coisa a fazer com o que se ama é estabelecer uma agenda com horários definidos, “permitidos”, simplesmente não dá, a empolgação morre.

Aqui em casa sempre fizemos milhões de planos e projetos que acabavam atropelados ou esquecidos e isso gerou uma carga gigante de tarefas inacabadas. Tem algo pior do que coisas inacabadas?! Não saem nunca da nossa cabeça, né? Bom, o importante é não querer abraçar o mundo. “Faça tudo no seu tempo” e se o tempo necessário for muito, aceite e vá ser feliz, só não vale não se esforçar hein!?

Recentemente, resolvi permitir-me realizar tarefas em momentos diferentes do dia, sem me ater ao convencional ou àquilo a que estamos acostumados quando trabalhamos em “horário comercial”. Procurei não estabelecer tempo para terminar ou retomar um projeto há muito colocado em pausa, fazer aquela caminhada no parque, assar um bolo, estudar, ler um livro, e tudo começou a se encaixar melhor, as obrigações e os hobbies, o tempo rendeu, nunca tinha me sentido tão produtiva! Fiz o que tinha disposição e vontade para fazer no momento. Sei que muitos vão dizer “não é bem assim”, tudo bem, cada um leva a vida que quer levar. Sério. É importante enxergarmos as opções. Não é à toa que muitas empresas diversificaram a forma de lidar com seus funcionários e cresceram muito em produtividade. Vamos tentar fazer com que a vida como um todo seja assim se é disso que precisamos?

Antes desse insight, que não veio de um dia para o outro, meu problema era a procrastinação aliada à tentativa de me encaixar em uma forma. A seguinte explicação, em uma página na internet, esmiuçou o que eu sentia, acho que pode ajudar muita gente a entender algumas coisas:

Procrastinação é o diferimento ou adiamento de uma ação. Para a pessoa que está a procrastinar, isso resulta em stress, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com a suas responsabilidades e compromissos. Embora a procrastinação seja considerada normal, torna-se um problema quando impede o funcionamento normal das ações.

Compreender isso é fundamental para mudar. Sempre fui minha própria terapeuta, consegui resolver muitas inquietações com isso, aí adicionei gotinhas milagrosas da homeopatia e uma dose de aceitação, que fizeram uma diferença enorme. A vida não tem uma receita, então eu resolvi criar a minha, nunca é tarde para perceber isso. Aquela frase “seja você mesmo” faz muito sentido agora.

Quem sabe, com esse post, eu ajude alguém nesse mundão que é a internet; não sei quem vai ler, quem vai julgar bem ou mal o que eu escrevi, mas isso já não importa mais.

Nossa, estava com saudades disso aqui…

até qualquer hora dessas!

Gostou? Então compartilhe...Share on Facebook28Pin on Pinterest0Tweet about this on TwitterShare on Google+1Share on Yummly0Email this to someonePrint this page

Comentários

comentários